Flávio Bolsonaro teria pago salas comerciais com R$ 86 mil em espécie, diz jornal

Em nota divulgada à imprensa, a defesa do senador disse ter 'recebido com perplexidade' as notícias de vazamento das peças e áudios de investigação

Redação - O Estado de S.Paulo

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você leu 4 de 5 matérias gratuitas do mês

ou Assinar por R$ 0,99

Essa é sua última matéria grátis do mês

ou Assinar por R$ 0,99

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) teria usado R$ 86,7 mil em dinheiro para omprar salas comerciais no Rio de Janeiro no período em que era deputado estadual. A informação foi confirmada pelo próprio Flávio em depoimento ao Ministério Público do Rio no inquérito das “rachadinhas” – apropriação do salário do servidor –, segundo reportagem do jornal O Globo.

O jornal divulgou trechos dos depoimentos gravados pelo senador e por empreiteiros envolvidos na negociação. 

Após a divulgação da reportagem, a defesa de Flávio afirmou que vai entrar com uma representação nos órgãos de correição do Ministério Público Federal (MPF) pelo vazamento de informações de procedimentos judiciais em que o parlamentar é parte.

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) Foto: Dida Sampaio/Estadão

Em nota divulgada à imprensa, a defesa do senador disse ter "recebido com perplexidade" as notícias de vazamento das peças e áudios de um procedimento que tramita sob sigilo. Além da representação, a defesa de Flávio diz que não vai mais permitir registros audiovisuais durante as manifestações do parlamentar durante os procedimentos judiciais.

Na sexta-feira, 7, foram revelados extratos bancários do ex-assessor de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, Fabrício Queiroz, que comprovaram o depósito de 21 cheques, com valor somado de R$ 72 mil, na conta de Michelle Bolsonaro.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato