Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Defesa de Dilma pede para adiar entrega de alegações finais sobre impeachment

Documento deveria ser entregue nesta quarta-feira, 27, mas advogados afirmam que enfrentaram problemas no acesso ao processo pelo site do Senado

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

26 de julho de 2016 | 18h38

BRASÍLIA - A defesa da presidente afastada Dilma Rousseff protocolou, na tarde dessa terça-feira, 26, um pedido de prorrogação do prazo de entrega das alegações finais do processo de impeachment. A defesa alega que enfrentou problemas no acesso ao processo pelo site do Senado e requer mais dois dias de prazo.

As alegações finais da defesa deveriam ser entregues nessa quarta-feira, 27, até às 18h, totalizando 15 dias de prazo. De acordo com o pedido feito pelos advogados da presidente, entretanto, o acesso ao processo no site do Senado Federal esteve indisponível por dois dias. No documento, a defesa pede a reposição dos dias perdidos e autorização para entregar as alegações finais apenas na próxima sexta-feira, 29.

De acordo com os advogados, o pedido tem base legal na Lei de Processo Eletrônico e visa garantir o amplo direito de defesa da presidente. A decisão, entretanto, cabe ao presidente da Comissão Especial de Impeachment, senador Raimundo Lira (PMDB-PB), a quem o pedido foi dirigido. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.