Defesa de Dantas irá à Justiça questionar inquérito do caso

'Existe algo de malvadeza nisso, pois o inquérito (da Operação Satiagraha) é uma devassa medieval', diz Machado

Agência Brasil

18 de julho de 2008 | 16h08

O advogado do banqueiro  Daniel Dantas, Nélio Machado, disse ao chegar à Polícia Federal nesta sexta-feira, 18, que encaminhará um documento às autoridades policiais, ao Ministério Público e à Justiça, questionando a lisura do processo que envolve seu cliente. "Este documento é um protesto formal com respeito a tudo o que vem ocorrendo neste caso, pré julgamento do meu cliente, manobra das prisões. Existe algo de malvadeza nisso, pois o inquérito (da Operação Satiagraha) é uma devassa medieval."  Veja também:Dantas chega à PF para terceiro depoimento na semanaOuça trechos da reunião que decidiu a saída do delegado  Apesar do apelo de Lula, Protógenes deixa caso Dantas na sextaJuiz aceita denúncia e Daniel Dantas vira réu por corrupção ativa Entenda como funcionava o esquema criminoso Veja as principais operações da PF desde 2003 As prisões de Daniel Dantas  Nélio acompanha seu cliente à PF pela terceira vez. Nas últimas duas, ele orientou o banqueiro a não responder as perguntas feitas pelo delegado Protógenes Queiroz.  Comunicado distribuído à imprensa pelos advogados, que será também entregue ao delegado Protógenes, informa que Dantas e os nove funcionários do Opportunity deverão "se abster de responder a qualquer das indagações" feitas pelos delegados que investigam crimes financeiros na Operação Satiagraha.  (Com Agência Brasil)

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Satiagrahacaso Dantas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.