Defesa de banqueiro vê ''acusações infundadas''

"A Operação Satiagraha é uma fraude, a denúncia foi apresentada para justificar as buscas e apreensões e as prisões ilegais", declarou o criminalista Andrei Zenkner Schmidt, defensor do banqueiro Daniel Dantas. Segundo o advogado, a denúncia do Ministério Público Federal "traz acusações infundadas". Schmidt afirma que o Opportunity Fund "opera sob a mais rígida legalidade, sob a regular fiscalização dos órgãos competentes". Ele sustenta que a estrutura do fundo "é idêntica à dos outros fundos offshore que aplicam no Brasil, como, por exemplo, o BB Fund (fundo do Banco do Brasil)"."O Opportunity jamais propiciou a evasão de divisas de investidores", disse o advogado. "Além de absurda, é juridicamente inviável a acusação de gestão fraudulenta, na medida em que essa prática, segundo a denúncia, estaria atrelada à Brasil Telecom, que não é instituição financeira."Schmidt afirma que "não há envolvimento do Opportunity com o ?mensalão?, conforme já reconhecido pelo Judiciário". "Fere o senso comum que o governo negue a existência do ?mensalão? e, ao mesmo tempo, como ocorreu na CPI, acuse Daniel Dantas de estar envolvido com o esquema. O governo persegue Dantas e, conjuntamente, acusa-o de financiá-lo", diz o advogado. Segundo ele, "não houve fraude alguma na administração da Brasil Telecom"."A denúncia é apenas um carimbo numa investigação ilegal", declarou o criminalista Antônio Sérgio de Moraes Pitombo, que defende Dório Ferman, presidente do Banco Opportunity. "É o continuísmo da investigação da PF, inválida desde o começo. Nunca houve no Brasil caso com tantas ilegalidades."Luiz Eduardo Greenhalgh rechaçou: "Não há nada em minha atuação como advogado do Opportunity que possa me macular. Fui contratado para assisti-lo como advogado, atividade que exerço há mais de 30 anos. Atuei na defesa de meu cliente nos estritos marcos da legalidade e da ética profissional. Entendo que a citação ao meu nome constitui represália porque descobri a ação ilegal da Abin no caso. A violação às prerrogativas do advogado é inadmissível em um Estado Democrático de Direito."O advogado José Luiz de Oliveira Lima disse que Roberto Amaral, "durante mais de 30 anos um dos mais destacados e respeitados empresários desse País, efetivamente prestou consultoria a Dantas, dentro da mais absoluta legalidade". Para o advogado, a denúncia contra Amaral "é peça de ficção". "É inadmissível a afirmação da espetaculosa denúncia de que dr. Roberto Amaral faça parte de organização criminosa. Um homem com sua história jamais integraria tal situação."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.