Defesa de Arruda não tem dúvidas sobre manipulação de vídeos

Nélio Machado afirmou que fitas contêm imagens entrecortadas e não permitem a compreensão das falas

Agência Brasil,

03 de março de 2010 | 14h01

O advogado responsável pela defesa do governador licenciado José Roberto Arruda, Nélio Machado, disse nesta quarta-feira, 3, ter certeza sobre a manipulação dos vídeos que denunciaram o suposto esquema de pagamento de propina no Distrito Federal. Segundo ele, algumas gravações apresentam imagens entrecortadas e outras não permitem que se perceba de forma clara a fala dos envolvidos.

 

Além disso, ele critica a forma descontextualizada como as gravações foram conduzidas pelo ex-secretário de governo, Durval Barbosa. "Acredito firmemente que esses vídeos foram manipulados", disse à Agência Brasil.

 

A fim de se concentrar no julgamento desta quinta-feira, 4, no Supremo Tribunal Federal (STF), Machado escalou a advogada Luciana Lossio para atender às demandas "residuais", referentes à questão eleitoral, que envolvem o processo de impeachment e a filiação partidária, "e demais assuntos de natureza não penal".

 

A advogada se encontrou nesta quarta-feira com Arruda entre às 11h30 e às 12h20 na Superintendência da Polícia Federal, onde o governador licenciado está preso.

 

Sobre o julgamento do habeas corpus de Arruda, previsto para esta quinta-feira, 4, no STF, Machado disse que apresentará "pela primeira vez a voz da defesa", e que carrega "doses de otimismo para o êxito no tribunal".

 

Na terça-feira, 2, o advogado fez uma "visita de cortesia" ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), onde conversou com o presidente, ministro Cesar Rocha, e com o relator do caso, ministro João Otávio de Noronha. "Não entramos em detalhes sobre o caso", garantiu Machado.

 

Visitas

 

O corregedor da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Raimundo Ribeiro (PSDB), visitou nesta terça-feira o governador afastado, José Roberto Arruda, preso desde o dia 11 de fevereiro na Polícia Federal. Segundo o deputado distrital, Arruda está magro, barbudo e muito preocupado com uma filha pequena, que tem sentido febre. "Foi uma visita a um amigo que passa por um grande infortúnio", declarou ao sair do encontro.

 

O governador tem sentido tonturas, de acordo com Ribeiro, e está aguardando autorização para falar com seu médico. Segundo o deputado, Arruda toma remédios controlados e é diabético.

 

Ainda segundo Ribeiro, o governador licenciado tem passado muito tempo lendo livros enviados por amigos e não tem acesso a rádio, televisão ou jornais. O deputado distrital disse que eles não conversaram sobre o julgamento do habeas corpus que será apreciado nesta quinta-feira, 4, pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

 

O deputado distrital afirmou que Arruda "está entristecido e alheio a muitas coisas, já que não está informado sobre o dia a dia".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.