Defesa de Arruda entrará com recurso no TSE para tentar permanência no cargo

Governador cassado é acusado de chefiar suposto esquema de corrupção, que beneficiaria deputados e assessores do governo do DF

Agência Brasil

22 de março de 2010 | 15h27

A advogada Luciana Lóssio, que defende o governador cassado do Distrito Federal, José Roberto Arruda, nos processos relativos à questão eleitoral, deve entrar, até as 19 horas desta segunda-feira, 22, com recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), defendendo a permanência dele no cargo.

 

Veja também:

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Arruda será avaliado por psiquiatra da PF, diz médico

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gifCâmara do DF discute regras da eleição indireta para governador

 

A informação foi dada pela própria advogada no início da tarde desta quarta-feira, ao deixar a sede da Superintendência da Polícia Federal, onde Arruda está preso desde o dia 11 de fevereiro.

 

Ao recorrer da decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que determinou a perda do mandato do governador cassado por desfiliação partidária, a advogada pretende manter a prerrogativa de chefe de Estado de Arruda, o que evitaria a transferência dele para um presídio comum, que, no caso, seria o Complexo Penitenciário da Papuda.

 

Arruda é acusado de chefiar um suposto esquema de corrupção, que beneficiaria deputados distritais e assessores do governo do Distrito Federal e foi desvendado pela Polícia Federal na Operação Caixa de Pandora. O governador foi preso por envolvimento na tentativa de suborno de uma testemunha do suposto esquema de corrupção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.