Defesa apresenta dieta de Jefferson ao Supremo

Advogados afirmam que nenhuma prisão no País terá condição de atender à dieta do ex-deputado que inclui salmão defumado, omele de claras e geleia real

MARIÂNGELA GALLUCCI, Agência Estado

12 Dezembro 2013 | 20h05

Salmão defumado, omelete de claras, geleia real... os advogados do ex-deputado federal Roberto Jefferson apresentaram nesta quinta-feira, 12, ao Supremo Tribunal Federal (STF) a dieta prescrita para o ex-congressista para tentar convencer o presidente da Corte, Joaquim Barbosa, a deixá-lo em prisão domiciliar.

Os advogados do ex-parlamentar afirmam que ele sofre de doença metabólica em razão de recente tratamento para câncer no pâncreas e necessita de cuidados nutricionais e higiênicos indisponíveis em todo o sistema prisional brasileiro.

Na petição entregue ao Supremo, a defesa reconhece que atualmente não existem sinais de câncer no organismo de Jefferson, mas afirma que ele precisa ter uma dieta regrada. Por esse motivo, pede que seja autorizada a prisão domiciliar no município de Comendador Levy Gasparian, no Estado do Rio de Janeiro.

"Parece claro, pois, que o sistema prisional não terá condições de prover todo o acompanhamento nutricional necessário para a manutenção da vida do requerente, com alimentação especial e extremamente regrada, em intervalos pequenos de tempo, e hidratação constante", afirmou a defesa.

"As condições de higiene que se mostram necessárias em razão de seu tênue equilíbrio metabólico igualmente não poderão ser fornecidas pelo sistema prisional, sendo certo que qualquer deficiência nesses cuidados gerará o aumento de intercorrências inflamatórias e infecciosas que, diante de seu já frágil estado de saúde, poderão abreviar seu tempo de sobrevida", acrescentaram os advogados.   Responsável pela acusação, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, já manifestou preocupação com os cuidados necessários para garantir a saúde de Jefferson. Em parecer enviado nesta semana ao STF, Janot pediu ao tribunal que determine a realização de uma diligência na unidade prisional para onde pretende mandar o ex-deputado para verificar se o estabelecimento tem condições de prestar atendimento adequado a ele. Barbosa ainda não expediu o mandado de prisão de Roberto Jefferson e deve decidir ainda se acata o pedido das defesas do delator do mensalão e do ex-presidente do PT, José Genoino, para que eles sejam submetido a prisão domiciliar devido às suas condições de saúde. Atualmente, Genoino está na casa da filha, em Brasília, cumprindo prisão domiciliar provisoriamente após passar mal no Complexo Penitenciário da Papuda, onde dividia cela com José Dirceu e Delúbio Soares.

Mais conteúdo sobre:
mensalão Roberto Jefferson dieta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.