Déda foi o maior nome da minha geração, diz Campos

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) fez uma homenagem na manhã desta segunda-feira, 02, ao governador licenciado de Sergipe, Marcelo Déda (PT), ao pedir à plateia presente à reinauguração de uma maternidade-escola, no Recife, que ficasse de pé e fizesse um minuto de silêncio, seguido de palmas.

ANGELA LACERDA, Agência Estado

02 Dezembro 2013 | 12h33

"Marcelo Déda foi um grande nordestino que governou até esta madrugada o Estado de Sergipe, um companheiro da minha geração que dignificou a vida pública", disse ele, antes de discursar.

Em nota divulgada por sua assessoria, Campos destacou que "Deda fazia política com P maiúsculo, pelas ideias" e "foi o maior nome" da sua geração. "Acompanhei sua luta contra a doença, e tive a oportunidade de presenciar um exemplo de grandeza, de força e de coragem como poucas vezes se viu".

Ao considerar sua morte - devido a um câncer de estômago - uma perda para a política brasileira, o governador lamentou sua partida "não apenas como o cidadão e homem público exemplar que foi, mas também, e em grande medida, como um dos grandes amigos que fiz na vida".

"Em meu nome, de minha família e do Estado de Pernambuco, manifesto o pesar e a solidariedade a todos os familiares e amigos de Marcelo Déda e ao povo do Sergipe".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.