Déda diz que Serra critica PAC pensando em 2010

O governador de Sergipe, Marcela Déda (PT), afirmou que seu colega José Serra (PSDB) quer antecipar o debate eleitoral de 2010, ao fazer críticas ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). "A posição do governador José Serra é uma posição que deve ser evitada, porque ele quer envolver os governadores num indesejável debate sobre a sucessão presidencial", afirmou Déda.Ele lembrou que os governadores interessados nas negociações com o governo federal - seja para tratar das questões que envolvem o PAC, como a desoneração de impostos, seja para as angústias dos Estados, como o endividamento e aperto fiscal - têm reunião marcada para esta segunda-feira, em Brasília, para tratar de assuntos de interesse comum. Déda lembrou ainda que Serra nem participou do almoço realizado no dia 22, na casa do governador de Brasília, José Roberto Arruda (PFL), quando ficou decidido que os Estados vão se antecipar no debate sobre a reforma tributária, fechar questão e levá-la para a reunião que vão ter com o presidente Lula no dia 6 de março."É equivocado conduzir o debate federativo para um clima de oposição. Fundamental é estar acima das articulações partidárias. Sergipe não vai ficar a reboque de projetos presidenciais de ninguém. Defendo uma posição de qualificação do debate com o governo federal, para tratar de questões que nos interessam, como o Fundeb e o PAC, que são os interesses de nossos cidadãos", afirmou Déda.Já o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, disse que preferia aguardar a reunião com os governadores, nesta segunda-feira, antes de fazer qualquer comentário a respeito da oposição de José Serra, que qualificou o PAC de fraco, vago e contraditório, além de afirmar que não induz ao crescimento. "Teremos uma reunião na segunda-feira, quando os governadores vão fechar sua posição a respeito do PAC e da reforma tributária".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.