Declarações de Ciro favorecem Serra, diz tucano

O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), avaliou hoje que as declarações do deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) ao portal iG favorecem a candidatura do pré-candidato tucano à sucessão presidencial, José Serra. Sobre Serra, Ciro disse: "Minha sensação agora é que o Serra vai ganhar esta eleição. Dilma é melhor do que o Serra como pessoa. Mas o Serra é mais preparado, mais legítimo, mais capaz."

CAROL PIRES, Agência Estado

23 de abril de 2010 | 15h02

Sérgio Guerra observou que Ciro Gomes é conhecido pelo gênio explosivo e por dizer o que pensa, sem medir palavras. Ao elogiar Serra, segundo o senador, Ciro dá musculatura à candidatura tucana. "Eu acho que o Ciro é um cara que normalmente fala o que pensa. Quando ele diz que o Serra tem competência, qualidade para ser presidente da Republica e a Dilma não tem, ele nos dá uma grande musculatura. Isto afirmado por mim ou por outro do partido tem um peso muito menor do que dito pelo Ciro", disse Guerra.

O presidente tucano também diz acreditar que, quando Ciro deixar de aparecer nas pesquisas de intenção de voto como pré-candidato, Serra ganhará eleitores. "Os votos do Ciro que eram mais próximos da Dilma já tinham sido desidratados quando ela começou a circular com o presidente Lula. Esses eleitores já tinham percebido que a candidata do Lula era ela e não o Ciro", avaliou o senador.

O líder do PT na Câmara dos Deputados, Cândido Vaccarezza (SP), em contrapartida, evitou comentar a entrevista de Ciro. Ao portal iG, Ciro Gomes disse que, uma vez que o PSB declare publicamente que ele não será candidato do partido à Presidência, ele não irá à TV declarar voto a Dilma Rousseff. O PSB deve apoiar o PT na campanha.

Vaccarezza limitou-se a dizer que as críticas de Ciro foram "injustas". "Nós respeitamos o PSB. O PSB tem um tempo para resolver o que vai fazer. E respeitamos o Ciro também. Só acho injusto as criticas que ele faz. Mas ele tem um jeito próprio de ser. Não queremos polarizar com ele. Não quero polemizar com ele", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.