Declaração de Silvinho não deve ser desconsiderada, diz ex-secretária

A ex-secretária da SMPB Comunicação, Fernanda Karina Somaggio, disse nesta sexta-feira que a declaração do ex-secretário-geral do PT, Silvio Pereira, segundo a qual o empresário mineiro pretendia arrecadar com o PT o montante de R$ 1 bilhão durante o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, não deve ser desconsiderada. "O Marcos era uma pessoa muito gananciosa. Não sei se era essa a cifra, mas com certeza eles queriam muito dinheiro", disse Karina, responsável pelas primeiras denúncias envolvendo a relação de Valério com o esquema do mensalão.Ela também disse que Silvinho, como é conhecido o ex-dirigente petista, faltou com a verdade ao afirmar que não mantinha contatos com o empresário. "Sempre disse para todo mundo que o Marcos se encontrava e conversava ou com o Delúbio ou com o Silvio Pereira", observou. "Os contatos eram freqüentes. Tanto que, quando eu não conseguia falar com o Delúbio, eu ligava para Silvio". Quércia Natural de Mococa (SP), Karina revelou que nas próximas eleições irá se candidatar a uma vaga na Câmara dos Deputados pelo PMDB de São Paulo. O convite foi feito pelo ex-governador Orestes Quércia. A ex-petista prevê que a maioria dos deputados mensaleiros que escaparam da cassação não conseguirão se reeleger. "Eles foram absolvidos lá, mas com certeza não serão absolvidos nas urnas." No ano passado, no auge do escândalo político, a ex-secretária da SMPB cogitou posar nua para uma revista de circulação nacional e seu advogado, Rui Pimenta, chegou a divulgar que ela estava cobrando um cachê de R$ 2 milhões. A justificativa era de que o dinheiro seria usado para financiar sua futura campanha eleitoral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.