Declaração de Dilma sobre o exílio é 'despreparo político', diz Aloysio Nunes

Pré-candidato ao Senado, tucano atribuiu à declaração da ex-ministra da Casa Civil 'insensibilidade com a dor' de quem foi exilado

Ricardo Chapola, de estadao.com.br

15 de abril de 2010 | 14h04

O pré-candidato do PSDB ao Senado por São Paulo, Aloysio Nunes Ferreira, entrou nesta quinta-feira, 15, na polêmica acerca de declarações da pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, que em um evento no último fim de semana disse que pode "apanhar", mas não "foge da luta".

 

A frase foi interpretada como uma provocação a seu principal adversário, o tucano José Serra, que viveu diversos anos no exílio durante a ditadura militar (1964-1985). Também ex-exilado, Aloysio, que foi secretário da Casa Civil do Estado de São Paulo durante o governo Serra, disse que a declaração mostra o 'total despreparo político' da pré-candidata.

 

Veja também:

 

Frase de Dilma sobre exilados gera polêmica com adversários políticos

 

Dilma nega que tenha criticado exilados

 

Para analistas, DIlma tenta capitalizar resistência à ditadura

 

'Declaração de Dilma foi aloprada', diz ex-exilado político

 

De acordo com Aloysio, a posição da ex-ministra da Casa Civil sobre os exilados políticos do período de regime militar mostrou "o quão rasa é a atitude política de Dilma". Ferreira ressaltou que muitos políticos foram compelidos ao exílio, exemplificando o fato com os irmãos Andrade.

 

O candidato ao Senado também apontou a falta de sensibilidade de Dilma: "Foi uma insensibilidade dela com a dor. O exílio é uma ferida, é uma forma de sofrimento", disse Aloysio. Além disso, o ex-secretário finalizou  alegando incontinência verbal da parte de Dilma em querer agradar a plateia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.