Decisão sobre Venezuela no Mercosul fica para 2008

A Câmara sepultou a promessa de aprovar a adesão plena da Venezuela ao Mercosul até o fim do ano, feita pelo Itamaraty ao presidente Hugo Chávez. Ontem, o presidente da Casa, Arlindo Chinaglia (PT-SP), declarou que a votação da adesão pelo plenário ficará para 2008 por conta das "prioridades" definidas para as últimas três semanas do ano legislativo.O atraso na apreciação do protocolo de adesão, assinado em julho de 2006 e em tramitação no Congresso desde fevereiro, tende a azedar ainda mais o ambiente da 34ª Reunião de Cúpula do Mercosul, no dia 18, em Montevidéu. Uma nova carga de críticas de Chávez ao Congresso brasileiro é esperada pela diplomacia brasileira, escaldada desde os ataques feitos por ele no início deste semestre. "O tema já entrou na pauta. Mas não será votado em 2007 em função do ano legislativo e das prioridades que definimos", afirmou Chinaglia ontem. No fim de setembro, em Manaus, o chanceler Celso Amorim prometeu a Chávez a conclusão da tramitação do protocolo até o fim deste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.