Decisão sobre juros não ameaça crescimento, diz Lula

Presidente afirma que BC permanece trabalhando com total autonomia.

Rogério Wassermann, BBC

18 Outubro 2007 | 19h45

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira, em Luanda (Angola), que a pausa na redução dos juros não ameaça a previsão do governo para o crescimento da economia brasileira, de 5% neste ano. "Nós queremos crescer mais, 5% é o mínimo que achamos que o Brasil pode crescer", disse. "Mas é importante lembrar que fazia apenas 26 anos que o Brasil não tinha um crescimento de 5%." De acordo com Lula, o objetivo do governo é manter um crescimento alto por um período longo, de 15 ou 20 anos. "Ou seja, um novo ciclo de crescimento sustentável para recuperar a quantidade de décadas perdidas de crescimento na economia brasileira", afirmou. "Isso, estou convencido, realmente que vai acontecer." Na quarta-feira, o Copom (Conselho de Polícia Monetária) do Banco Central decidiu manter a taxa de juros básicos da economia brasileira em 11,25% ao ano. Em uma entrevista concedida ao jornal Folha de S. Paulo, no domingo, o presidente havia dito que não achava que o Banco Central deveria parar com a seqüência de reduções da taxa de juros, como acabou ocorrendo. Lula também disse ao jornal que, caso o Banco Central anunciasse a decisão, teria que se explicar. Em Luanda, onde encerrou nesta quinta-feira um giro por quatro países africanos, o presidente disse que a manutenção dos juros "não mudará em nada a política econômica nacional". "O fato de, em um determinado momento, o BC achar que não é o momento de reduzir 0,25 ponto não altera nada", afirmou. "O que não vamos abdicar em nenhum momento é ter uma política séria de controle de inflação", acrescentou. "Eu sei que quando a inflação volta, quem começa a pagar o pato são as camadas mais baixas da sociedade, que vivem de salário." De acordo com Lula, o Banco Central do Brasil vem trabalhando com total autonomia e permanecerá assim. "As coisas deram certo até agora, essa é a verdade", afirmou. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
lula juros BC banco central copom angola africa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.