Ed Ferreira|Estadão
Ed Ferreira|Estadão

'Decisão judicial se cumpre', diz Caiado

Líder do DEM descarta possibilidade de ter havido acordo entre Senado e STF para favorecer Renan

Erich Decat, O Estado de S.Paulo

07 Dezembro 2016 | 19h24

BRASÍLIA - O líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), considerou nesta quarta-feira, 7, que a decisão do Supremo Tribunal Federal de manter o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) no comando da Casa deve ser cumprida. “Acho que não podemos jamais quebrar a regra que é conhecida por todos nós. Decisão judicial se cumpre”, afirmou o líder após a sessão do STF.

O senador descartou a possibilidade de ter havido um “acordão” entre a cúpula dos dois Poderes para manter Renan na presidência da Casa. “Acho que seria extremamente pejorativo entender que o Supremo Tribunal Federal se colocaria dessa maneira... as decisões do Supremo devem ser não só respeitadas, mas cumpridas por todos. E não vejo motivo para ter um acordo. Até porque não podemos personalizar a crise. O Supremo Tribunal Federal e o Senado Federal, como instituições, são maiores do que as pessoas que lá compõem os Poderes”, comentou.

Em razão do julgamento desta quarta-feira, Renan desmarcou a sessão plenária prevista para iniciar às 18h e remarcou para às 10h. A sessão de hoje contaria como prazo para a votação da chamada PEC do Teto, prevista para ser votada na próxima terça-feira, 13. Segundo Caiado, o adiamento da sessão não irá atrapalhar o calendário de discussão da proposta.

“A informação que acabo de receber é de que será marcada uma sessão para amanhã (quinta-feira, 8) às 10h, outra na sexta e na segunda-feira. Com isso, estaremos cumprindo as três sessões de discussão que antecedem a votação. E vamos entra diretamente na matéria, no encaminhamento e discussão na terça-feira”, afirmou o senador.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.