Decisão final de verticalização é do STF, diz Renan

Em um tom um pouco mais ameno do que o adotado na segunda-feira, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou que, com a promulgação da emenda constitucional que acaba com a verticalização, "a bola agora está com o Supremo (Tribunal Federal - STF) que vai decidir sobre a constitucionalidade da emenda". Calheiros afirmou que as tensões entre os Poderes são "naturais" na democracia. "É fundamental que tenhamos uma relação harmônica entre os Poderes, e que as tensões sejam administradas com equilíbrio, bom senso, independência e isenção. E isso é o que estamos fazendo", disse.Questionado sobre se a decisão do STF mantiver a verticalização será declarada a guerra entre os Poderes, Renan respondeu: "não vamos transformar 2006 em um ano vermelho. Não vamos transformar a relação entre Legislativo e Judiciário em duelo à luz do dia. Nós promulgamos e o STF vai dizer se é constitucional ou não". O senador disse, em tese, ser a favor da verticalização, mas somente após uma reforma política. As declarações foram dadas em entrevista, no Salão Azul do Senado, onde algumas pessoas seguravam faixas de protesto, patrocinadas pelo Partido Progressista (PP), contra o fim da verticalização. O presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), que também participou da entrevista, evitou fazer projeções sobre a hipótese de o Supremo derrubar a emenda constitucional que acaba com a verticalização, mas defendeu o fim da verticalização pelo fato de o Brasil ser um País com muitas desigualdades."Os partidos refletem a desigualdade do País, e o Brasil é cheio de desigualdades, o que justifica o fim da verticalização", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.