Ed Ferreira/Estadão - 06.01.2015
Ed Ferreira/Estadão - 06.01.2015

'Decisão de Cunha é tentativa de golpe', afirma ministro

Miguel Rossetto, do Trabalho e Previdência Social, afirmou que Cunha está se sentindo encurralado e tenta 'amplificar seu poder de chantagem'

Rachel Gamarski, O Estado de S.Paulo

02 de dezembro de 2015 | 22h08

Em uma tentativa de contra-atacar em peso a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff pelo presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, classificou a ação de Cunha como "uma irresponsabilidade com o País e uma tentativa de golpe que será derrotada".

Em nota, Rossetto afirmou que Cunha está se sentindo encurralado e tenta "amplificar seu poder de chantagem" através da abertura do processo contra a presidente. Numa tentativa de acalmar os ânimos e apoiar a presidente, Rossetto afirmou que o governo continuará a irá "a governar e a trabalhar para superar os problemas do País".

Segundo ele, toda a sociedade brasileira sabe que "não há qualquer fundamento, nem jurídico e nem político, que permitam um pedido de impeachment da presidenta."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.