Decisão da Executiva "surpreende" Itamar

O governador de Minas, Itamar Franco, ficou surpreso com a decisão da Executiva Nacional do PMDB que fixou em quase quatro mil o número de votantes nas prévias do partido, destinadas a escolher o candidato à sucessão presidencial. "É claro que surpreende, pois reduz de 150 mil - como propôs o deputado Michel Temer, em agosto deste ano - para 4 mil", comentou o secretário de governo de Itamar, Henrique Hargreaves, depois do anúncio do resultado. "Mas manda quem pode e obedece quem tem juízo", disse Hargreaves, depois de ser comunicado pelo presidente do PMDB, deputado Michel Temer (SP), de que a decisão ainda será submetida aos membros do Conselho Nacional do PMDB. "Isso está previsto no estatuto do partido", respondeu Hargreaves sem esconder a irritação com o líder do PMDB na Câmara, Geddel Vieira Lima (BA), que deixou a reunião afirmando que não há prazo para reunir o Conselho. A ampliação do colégio eleitoral das prévias foi defendida principalmente pelo senador Carlos Bezerra (PMDB-MT) e pelo deputado Renato Viana (PMDB-SC). "Vamos ter que negociar a ampliação desse modelo no Conselho do PMDB", disse Bezerra, pedindo a inclusão dos vereadores e vice-prefeitos do partido. Para o deputado Renato Viana, as bases do PMDB vão se mobilizar e alterar o formato. "Se a função das prévias é mobilizar o partido, não podemos excluir os membros dos diretórios municipais", afirmou o deputado Renato Viana. Ele teme que, inviabilizando a realização das prévias, com a eventual desistência de Itamar Franco, o PMDB passe a "terceiro colocado no palanque eleitoral dos partidos que integram a base aliada do governo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.