Debate sobre Copel acaba em pancadaria no Paraná

O presidente da Assembléia Legislativa do Paraná, deputado Hermas Brandão (PTB), deve suspender a sessão que votaria o projeto de iniciativa popular que visa tornar sem efeito a lei que autoriza o governo do Estado a privatizar a Copel. Chegaram à Assembléia os três bispos de Curitiba, que foram intermediar o fim do tumulto promovido no plenário pelos estudantes, e que acabou levando a troca de agressões. A proposta é retomar a sessão segunda-feira, com destinação de 150 lugares para estudantes.O deputado estadual Luiz Fernandes Litro (PSDB) foi levado para um hospital de Curitiba para fazer exames de coração. O deputado passou mal durante uma reunião entre os parlamentares que apóiam o governo do Estado. Litro sofreu uma grande pressão durante toda a noite, pois havia declarado um voto contrário à venda da Companhia Paranaense de Energia (Copel). Porém, durante a sessão de ontem, ele juntou-se à bancada governista. O voto de Litro era considerado o mais importante pelas oposições, que dependiaem de apenas mais um deputado para empatar a votação do projeto que suspende a privatização da Copel. A sessão esteve suspensa desde as 11 horas, quando centenas de estudantes e sindicalistas invadiram o plenário da Assembléia Legislativa do Estado. Os estudantes tomaram conta das mesas e fizeram diversas pichações nas paredes do plenário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.