Debate em notas

SÃO PAULO - Leia abaixo as notas sobre o debate Estadão/Gazeta:

O Estado de S.Paulo

09 de setembro de 2010 | 01h16

 

Fio da navalha

 

O presidente nacional do PPS, Roberto Freire, avaliava, no intervalo do debate, que a ausência de Dilma Rousseff poderá ter um efeito não estimado pelo PT. "Em vez de resguardá-la, o PT a expõe negativamente, porque as pessoas começam a questionar o preparo de Dilma para governar", afirmou o ex-deputado. Segundo ele, osctrackings da oposição começam a mostrar uma certa "oscilação no quadro eleitoral" e a recusa de Dilma em participar de debates pode corroborar com esse movimento. "Já há sinais de que a estabilidade dela nas pesquisas não é tão duradoura", disse. A presença ostensiva do presidente Lula na campanha de Dilma, afirmou Freire, coloca a petista no fio da navalha. "A presença de Lula também traz um complicador na medida em que cresce um sentimento de que ela pode não ser capaz de presidir o País. Lula é candidato demais. Ele se coloca no fio da navalha", opinou.

 

Fogo amigo

 

Setores do "corpo político" do Partido Verde (PV) andam descontentes com os rumos da candidatura de Marina Silva à Presidência. Ontem, em pleno debate dos candidatos nos estúdios da TV Gazeta, integrantes do partido trouxeram à tona críticas aos membros do chamado "corpo técnico" da campanha verde. Eles avaliam que a equipe de Marina Silva tem centralizado decisões importantes. Por isso, reservadamente, torcem para que não haja segundo turno nos Estados onde o PV tem candidatos - com exceção do Rio de Janeiro, onde Fernando Gabeira tem chances. A ideia, segundo eles, é evitar uma fragmentação do Partido Verde, o que frustraria os planos da legenda para as próximas eleições.

 

Ausência notada

 

A filha de Serra, Verônica, sempre presente nos debates dos quais o pai participa, não compareceu ao de ontem. Com o seu sigilo quebrado na Receita Federal, a filha do presidenciável foi viajar para fora do País. A mãe, Mônica, tomou ontem a liderança nas críticas à adversária de Serra, Dilma Rousseff, no episódio. "Envolver os filhos é a maior violência que pode ocorrer. Como mãe, fiquei muito espantada de ver muitas pessoas se solidarizando, mas não a candidata do PT. Ela sequer se manifestou se opondo a uma ação que representa um crime contra a democracia", disse a mulher de Serra.

 

Segundo turno

 

Índio da Costa, vice na chapa de Serra, foi o único aliado do tucano no DEM que compareceu. Ao chegar, encaminhou-se ao lugar reservado para os integrantes do PSOL. Informado de que ali estava a equipe do adversário, o candidato a vice falou: "Ah, tudo bem, vamos estar todos juntos no segundo turno mesmo". Índio aproveitou o encontro para criticar o presidente Lula, que em depoimento no horário eleitoral gratuito do PT atacou Serra. "Ridículo Lula se prestar a esse papel. O cargo de presidente exige o mínimo de respeito. Ele agora vai à TV mentir", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2010debatenotas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.