De volta ao PT, Delúbio Soares é recebido com festa no interior de Goiás

Ex-tesoureiro do PT participou neste sábado, 7, de seu primeiro compromisso político após ter sido anistiado pelo Diretório Nacional do partido

Vannildo Mendes / enviado especial a BURITI ALEGRE, GO, O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2011 | 13h54

Mais de 200 pessoas compareceram à homenagem no Centro de Catequese da Paróquia Nossa Senhora Abadia, em Buriti Alegre

 

Saudado em pé por companheiros petistas como líder popular, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares participou ontem de seu primeiro compromisso político, uma semana após ter sido anistiado pelo Diretório Nacional do partido. Mais de 200 pessoas compareceram à homenagem a Delúbio – um dos pivôs do escândalo do mensalão, deflagrado em 2005 –, no Centro de Catequese da Paróquia Nossa Senhora Abadia, em Buriti Alegre, a 150 quilômetros de Goiânia.

 

Ao chegar para o churrasco, pouco antes do meio-dia, Delúbio foi tratado como celebridade. Usando expressões de estadista, fez discurso de candidato. Emocionado, ele agradeceu à homenagem e pediu apoio à presidente Dilma Rousseff para erradicar a miséria no Brasil.

 

"A política é construir uma sociedade nova, passo a passo, para alcançar dias melhores para todos. É um processo que cria oportunidade para o País superar a miséria, como fez o presidente Lula", afirmou Delúbio.

 

Sob longos aplausos, o ex-tesoureiro fez uma referência à ideia do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de auxiliar os países pobres da África. "Combatemos a miséria no Brasil e vamos ajudar outros a fazer o mesmo no mundo. Fizemos a nossa parte e agora vamos ajudar os que não conseguiram", insistiu.

 

Tapinhas. A festança foi organizada pelo PT municipal com a ajuda de empresários e do prefeito de Buriti Alegre, o petista João Alfredo Mello Neto. Calorosamente recebido por 14 prefeitos da região, correligionários, amigos e parentes, Delúbio distribuiu abraços, beijos, tapinhas nas costas, posou para fotos e até deu autógrafos.

 

"Delúbio tem uma aceitação muito grande, trouxe muitos benefícios para a cidade e devemos muito a ele", disse o presidente da Câmara Municipal de Buriti Alegre, Elcimar Juvêncio (PT). "Queremos vê-lo como o próximo prefeito da cidade."

 

Expulso do PT em 2005, no rastro do escândalo do mensalão, Delúbio ganhou o perdão da cúpula do partido no último dia 29. Embora ainda não tenha revelado seu projeto político, amigos dizem que ele pode ser candidato a prefeito de Buriti Alegre, sua cidade natal, nas eleições de 2012. Adversários, no entanto, afirmam que, se esse projeto vingar, Delúbio será barrado pela Lei da Ficha Limpa.

 

Faixas. Com cerca de 10 mil habitantes, a pequena Buriti Alegre amanheceu em festa, com dezenas de faixas saudando a volta do filho mais ilustre. "Seu nome é sinônimo de caráter", dizia uma delas, assinada pelo Diretório Municipal do PT. "Você é exemplo para todos nós", afirmava outra, uma homenagem da família. "Seu lugar é com os companheiros. Comemore, Delúbio! A luta continua."

 

Segundo Juvêncio, o almoço goiano custou R$ 2,5 mil. "Disseram que matamos bois, mas não foi isso. Um frigorífico doou um quarto de boi, não a vaca inteira", disse o presidente da Câmara Municipal de Buriti Alegre.

 

Padrinhos da volta de Delúbio, Lula e o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu foram convidados para a homenagem, mas não compareceram. A comemoração foi, na prática, um aquecimento para o grande ato público que será promovido pelo Diretório do PT de Goiás, em Goiânia, no próximo dia 26, para mais uma saudação ao ex-tesoureiro.

 

O presidente do PT de Buriti Alegre, Delmar Arantes, disse que Delúbio retornou ao lugar de onde nunca deveria ter saído. "Foi uma injustiça muito grande do partido, mas o erro acabou reparado", comentou.

 

"O retorno de Delúbio engrandece não só o PT de Goiás, mas todo o Brasil", emendou Darci Accorsi, ex-prefeito de Goiânia e hoje secretário municipal de Assuntos Legislativos.

 

Para Accorsi, o mensalão é "parte da história" e não prejudicará qualquer candidatura do ex-tesoureiro. "Delúbio enfrentou tudo com coragem, determinação e lealdade. O PT reconheceu isso e o chamou de volta. Trata-se do resgate de seu papel como sindicalista e militante de grande valor."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.