De Sanctis nega ser alvo de investigação de corregedoria

O juiz da 6ª Vara Criminal do Tribunal Regional Federal (TRF), Fausto Martins De Sanctis, responsável na Justiça pelo processo originado da Operação Satiagraha da Polícia Federal (PF), negou hoje que seja alvo de investigação da corregedoria da corte por agir em "consórcio" com a PF e o Ministério Público Federal (MPF). A denúncia foi feita em reportagem da revista Veja sobre supostas irregularidades na operação, que levou à prisão o banqueiro Daniel Dantas, sócio-fundador do Banco Opportunity.Apesar de negar ser alvo de investigação por agir em "consórcio" com policiais e procuradores, o juiz já teve de entregar defesas preliminares à corregedoria em pelo menos dois casos de suposta desobediência ao Supremo Tribunal Federal (STF). O primeiro diz respeito ao caso MSI-Corinthians e o segundo, à Operação Satiagraha, na qual De Sanctis contrariou decisão do ministro Gilmar Mendes, presidente do STF, de libertar Dantas.Em resposta à revista, De Sanctis informou em nota: "Em momento algum este magistrado foi ou está sendo objeto correcional por atuar em ''consórcio'' com esta ou aquela instituição ou parte." O juiz se disse alvo de uma "investida por parte de setores da imprensa" e de uma "indevida e injustificada interferência na atividade jurisdicional".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.