De Sanctis desiste de falar à CPI

Juiz descobriu que comissão formalizaria depoimento

Fausto Macedo, O Estadao de S.Paulo

18 de abril de 2009 | 00h00

A CPI dos Grampos queria tomar o depoimento do juiz federal Fausto Martin De Sanctis na segunda-feira, mas a audiência não mais ocorrerá - ele mandou ofício à comissão parlamentar de inquérito informando que terá outro compromisso nesse dia. A decisão frustrou os parlamentares que reputam importante o relato do juiz da Satiagraha. "Como o juiz tem prerrogativa de marcar hora e lugar, nós aproveitamos para agendar o depoimento no próprio gabinete dele, mas ao que parece não tem interesse em colaborar com a CPI", disse o deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), presidente da comissão.De Sanctis não falou sobre o episódio. Magistrados federais revelaram que ele havia mesmo acordado em receber os deputados, mas não havia sido informado de que o objetivo da CPI era formalizar seu depoimento. Quando soube da estratégia dos deputados, comunicou sua decisão de não mais atendê-los.Três são os assuntos que a CPI pretendia abordar com De Sanctis: a parceria de arapongas da Agência Brasileira de Inteligência com a Polícia Federal na investigação contra o banqueiro Daniel Dantas, a liberação de senhas para acesso a informações nas operadores de telefonia e o compartilhamento de dados do inquérito Satiagraha. Com De Sanctis fora da pauta, a CPI deverá ouvir três procuradores da República.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.