Datafolha: Lula recupera popularidade e empata com Serra

Pesquisa Datafolha que está sendo divulgada na edição dominical da Folha de S. Paulo indica que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recuperou a sua popularidade para os patamares anteriores às denúncias sobre o mensalão e seu governo é considerado ótimo ou bom por 36% dos brasileiros. Em maio de 2005, um mês antes de o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) ter denunciado a existência do mensalão, a soma de ótimo e bom para Lula era de 35%, tendo caído a 28% na pesquisa de dezembro último. Segundo o Datafolha, a popularidade do presidente crescente entre os mais pobres e com menos escolaridade, mesmo perfil de eleitores que também ajuda Lula a reagir na disputa presidencial. O presidente petista recuperou quatro pontos desde dezembro, somando 33% das intenções de votos, contra 34% do prefeito de São Paulo, José Serra (PSDB), uma situação de empate técnico. Na simulação para o segundo turno, Lula perde para a Serra por 49% a 41%, mas o Datafolha constata uma queda de 14% para 8 pontos na diferença entre ambos. Na hipótese de disputa do segundo turno com o governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB), Lula vence o primeiro turno por 36% a 20%, com uma vantagem de 16 pontos, contra 8 na pesquisa anterior. No segundo turno, teria 48% dos votos, ante de 39% de Alckmin. O ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, que postula a candidatura pelo PMDB, juntamente com o governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto, fica em terceiro lugar com 10%, se o candidato do PSDB for Serra e com 13%, se os tucanos forem representados por Alckmin. Num eventual segundo turno, Garotinho perderia para Lula por 50% a 33%. As intenções de voto pró-Rigotto oscilam entre e 2% e 3%, de acordo com as alternativas simuladas. Em um primeiro turno com Serra e Rigotto, a votação seria a seguinte: Serra - 36%; Lula - 35%; Heloisa Helena (PSOL) - 7%; Rigotto - 2%m Roberto Freire (PPS) - 2% e Cristovam Buarque (PDT) - 1%. Com Alckmin e Rigotto na disputa, o primeiro turno teria esta classificação: Lula - 40%; Alckmin - 21%; Heloisa - 9%; Freire - 4%; Rigotto - 3%; Cristovam - 1%. Na faixa dos eleitores mais pobres, com ganhos até cinco salários mínimos, Lula subiu 7 pontos, de 37% para 44% no confronto de segundo turno com Serra, que ainda assim lidera neste segmento com 47% das intenções manifestadas. Entre os detentores de renda superior a 10 salários mínimos, Serra subiu 12 pontos, acumulando 65% das indicações de voto, ante apenas 24% de Lula. Serra lidera o confronto direto com Lula nas regiões Sul (59% a 31%), Sudeste (52% a 39%) e Norte/Centro-Oeste (51% a 39%). Lula vence apenas no Nordeste (52% a 39%), mas ganhou pontos em todas as regiões. Num segundo turno com Alckmin, Lula vence no Nordeste (63% a 25%,) e Norte/Centro-Oeste (47% a 39%), empata no Sul (40% a 39%) e perde no Sudeste, ficando com 41% das intenções de voto, contra 47% do governador paulista. Segundo o Datafolha, a pesquisa foi realizadas nos dias 1.º e 2 de fevereiro, ouvindo 2.590 pessoas em 153 unidades da federação. A margem de erro é de dois pontos porcentuais, para mais ou para menos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.