Dida Sampaio / Estadão
Dida Sampaio / Estadão

Data de prévias será pauta da primeira reunião da nova Executiva tucana

'Hoje demos o primeiro passo para unir o partido e trabalharmos', disse governador paulista Geraldo Alckmin

Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2017 | 15h58

BRASÍLIA – Com dois políticos postulando a candidatura tucana à Presidência da República, a data de uma virtual disputa de prévias será a pauta da primeira reunião da nova executiva do PSDB, eleita neste sábado na convenção do partido. A reunião em Brasília ainda não foi agendada.

A afirmação é do governador paulista, Geraldo Alckmin, um dos pré-candidatos a suceder Michel Temer e novo presidente do diretório nacional. O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, é o outro tucano que deseja concorrer ao Palácio do Planalto.

“Vai ser pauta da reunião da executiva. Hoje demos o primeiro passo para unir o partido e trabalharmos”, disse Alckmin ao Estadão/Broadcast. O governador disse que a pré-candidatura de Virgílio honra o partido. Alckmin tem pressa e defendia uma definição do candidato no fim deste ano.

O prefeito de São Paulo, João Doria Jr, também era tido como potencial candidato a presidente tucano, mas manifestou neste sábado apoio a Alckmin. Ele, no entanto, ainda é assediado por outras legendas para disputar o Planalto, inclusive o PMDB de Temer.

Doria afirmou que “não há nada de mal” em um partido democrático administrar várias correntes de pensamento.

“O importante é prosseguir no debate e mostrar grandeza. Na hora da disputa, unidade”, disse Doria.

Questionado pela reportagem, ele disse que só Arthur Virgílio poderá decidir se abre mão ou não em prol de Alckmin. “Essa é uma reflexão dele, pela unidade do partido. Ele tem todo o direito de disputar se quiser”.

Doria sugeriu que as prévias sejam realizadas em janeiro: “Eu gostaria que fosse já em janeiro, que o governador Geraldo Alckmin começasse imediatamente. Quanto mais rápido começarmos, mais fortalecido estará o PSDB e mais chances de vitória teremos”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.