Dárcy Vera é presa em casa pela Polícia Federal

Além da ex-prefeita de Ribeirão Preto (SP), outras quatro pessoas foram para a prisão nesta sexta-feira

Renê Moreira, O Estado de S.Paulo

19 de maio de 2017 | 15h51

A ex-prefeita de Ribeirão Preto (SP), Dárcy Vera (PSD), foi surpreendida pouco antes das 6h desta sexta-feira, 19, em sua casa no bairro Ribeirânia. Ela foi levada por policiais federais de viatura e passou por exames de praxe antes de ser mandada para a prisão.

Dárcy teve sua liberdade provisória revogada pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça) na tarde de quinta-feira, 18. Ela foi presa pela primeira vez em dezembro do ano passado durante a segunda fase da Operação Sevandija, que investiga corrupção na prefeitura da cidade. 

Na ocasião, ela ela foi mandada para o complexo prisional de Tremembé (SP), sendo solta menos de dez dias depois. Dessa vez a ex-prefeita teria como destino o mesmo local, mas por falta de vagas acabou encaminhada para a Cadeia Feminina de Franca (SP), onde deve passar pelo menos o fim de semana.

Quem também seguiria para a cadeia de Franca é Maria Lúcia Pandolfo, uma das outras quatro pessoas acusadas de fraudes em Ribeirão Preto e que tiveram a liberdade revogada por decisão da Justiça nesta manhã. 

Além das duas, foram presos Davy Mansur Curi, Ângelo Invernizzi e Layr Luchesi, esses encaminhados para  CDP (Centro de Detenção Provisória) de Ribeirão Preto.

DEFESA

Dárcy foi denunciada sob a acusação de liderar um esquema que pode ter desviado mais de R$ 200 milhões dos cofres públicos. A ex-prefeita não falou sobre a prisão, mas a advogada dela promete recorrer da decisão.

Os demais também pretendem recorrer, mas dizem estar à disposição do judiciário. "Colaboraremos com tudo", declarou David Cury ao chegar na sede da Polícia Federal. Já Layr Luchesi, que também se apresentou logo cedo, alegou querer "continuar contribuindo com a Justiça". 

Os advogados deles e dos demais informaram que ingressão com pedidos de liberdade através de recursos no Supremo Tribunal Federal (STF).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.