Dante Oliveira quer disputar prévia do PSDB

O governador do Mato Grosso, Dante de Oliveira (PSDB), reafirmou nesta quinta-feira a disposição de disputar a prévia interna para definir o candidato tucano à sucessão presidencial, em 2002.Antes, porém, Dante precisa consolidar no partido a idéia da prévia, que seria realizada em dezembro próximo ou janeiro de 2002.Com o aval do presidente Fernando Henrique Cardoso, Dante visitará nos próximos dias outro pré-candidato, o governador Tasso Jereissati (CE), para discutir o assunto."Não sei a opinião dele. Mas é como eu falei ao presidente: a continuar o quadro atual, não temos como escapar da prévia, porque quem tem cinco candidatos não tem nenhum", resumiu Dante.Além dele próprio - na disputa, mas "muito tranquilo" - e de Jereissati, Dante listou nomes já conhecidos: os ministros José Serra (Saúde), Paulo Renato (Educação) e Pimenta da Veiga (Comunicações).Geraldo Alckmin, governador paulista sondado nas pesquisas de intenção de voto, ficou de fora. "É um nome, tem qualidades. Mas não consigo ver nele uma alternativa real, concreta", afirmou Dante.Para convencer o PSDB da viabilidade de sua candidatura e ganhar o apoio de FHC, o governador Dante aposta na "poupança energética", uma alternativa à caderneta de poupança tradicional, adaptada aos tempos de crise energética.FHC teria elogiado a idéia e encaminhado o projeto ao ministro Pedro Parente (Casa Civil) e ao presidente do BC, Armínio Fraga."Não vai ser uma peça eleitoral, mas vai ajudar", disse Dante. A "poupança energética", segundo Dante, vai possibilitar o investimento em títulos (debêntures) conversíveis em quilowatts instalados."A rentabilidade é enorme. Nos primeiros três anos de carência (prazo médio da construção de uma usina), seria de 6% ao ano, como a poupança comum. A partir da instalação, a rentabilidade seria entre 18% e 20% ao ano", explicou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.