Dante de Oliveira articula prévias do PSDB

O governador do Mato Grosso, Dante de Oliveira (PSDB), quer apresentar à executiva nacional do PSDB esta semana, a proposta de realizar prévias eleitorais para a escolha do candidato tucano à eleição presidencial de 2002. Depois de obter sinal verde do presidente Fernando Henrique Cardoso, o governador já começou a preparar um documento detalhando a proposta de prévias no final deste ano, a exemplo do que será realizado para escolher seu sucessor entre o prefeito de Cuiabá, Roberto França (PSDB), e o senador Antero de Barros (PSDB)."Temos quatro ou cinco nomes para lançar na disputa e quem tem muitos não tem nenhum", provocou Dante em conversa com o presidente na semana passada, ele próprio um dos pré-candidatos do PSDB ao Palácio do Planalto. E quando o governador quis saber se Fernando Henrique estaria disposto a "assumir o desgaste" de uma indicação, caso nenhum tucano desponte como candidato natural e favorito até dezembro, o interlocutor foi taxativo: "Eu não vou tirar um nome do bolso do colete", disse o presidente, segundo relato do governador.Diante da negativa presidencial, Dante de Oliveira ponderou que sua idéia era boa para um presidente que rejeita o ônus da indicação.Fernando Henrique indagou, então, se ele já havia tratado do assunto com o governador do Ceará, Tasso Jereissati (PSDB). "Converse com ele", sugeriu. É o que Dante planeja fazer nos próximos dias, já que Tasso estava em viagem para os Estados Unidos e tem sua chegada prevista para esta terça-feira.Com a cúpula do PSDB fechando uma aliança com a direção nacional do PFL na corrida presidencial de 2002, a posição do governador Tasso Jereissati sobre as prévias pode ser decisiva no sentido de viabilizar a consulta entre os tucanos no fim do ano. Nome mais forte do partido nas pesquisas eleitorais até agora, com cerca de 6% da preferência dos votos, o ministro da Saúde, José Serra (PSDB), já deixou claro que não tem simpatia pela tese.Os pefelistas, porém, tornaram-se grandes incentivadores da consulta interna, depois que o presidente nacional do partido senador Jorge Bornhausen (SC), começou sua pregação em favor das primárias para escolher o candidato da aliança governista ao Planalto. O nome preferido do PFL entre os tucanos é o do governador Tasso Jereissati.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.