Dantas permaneceu calado nas 6 h de depoimento à PF

O sócio-fundador do Banco Opportunity, Daniel Dantas, permaneceu em silêncio durante cerca de seis horas de depoimento na Polícia Federal (PF) e, por orientação da defesa, não respondeu às perguntas formuladas pelo delegado Protógenes Queiroz. A mesma atitude teve outros nove diretores do Opportunity que também estavam na sede da corporação em São Paulo. Todos deixaram a PF por volta das 20 horas, sem conceder entrevistas aos repórteres.Dantas e os nove diretores deixaram os depoimentos indiciados por gestão fraudulenta e formação de quadrilha, segundo informou o advogado do banqueiro Nélio Machado. Entre os indiciados estão a irmã do sócio-fundador do Opportunity, Verônica Dantas, o sócio e vice-presidente do banco Carlos Bernardo Torres Rodemburg; Itamar Benigno Filho, Norberto Aguiar Tomáz, Arthur Joaquim de Carvalho, Eduardo Penido Monteiro, Maria Amália Delfin de Melo Coutrin, Dório Ferman e Danielle Silbergleid Ninio. O indiciamento é um indício de autoria de suposto crime, mas isso não significa condenação. O próximo passo do processo é a análise do inquérito pelo Ministério Público Federal (MPF), que decide se vai apresentar ou não denúncia à Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.