Dantas corre risco de perder terras que comprou no Pará

Se ficar comprovado que as terras eram públicas e não poderiam ser vendidas, banqueiro pode perder terras

Carlos Mendes, de O Estado de S.Paulo

22 de julho de 2008 | 17h05

O Instituto de Terras do Pará (Iterpa), por ordem da governadora Ana Júlia Carepa, começou a fazer um levantamento para identificar o real montante de terras adquiridas no sul do Estado pela Agropecuária Santa Bárbara, do grupo do banqueiro Daniel Dantas, que hoje seria dono de 15 fazendas na região em 510 mil hectares, além de 450 mil cabeças de gado. Dantas poderá perder tudo o que comprou se ficar comprovado que as terras eram públicas e não poderiam ser vendidas por quem sequer teria o título definitivo de posse.  O pecuarista Benedito Mutran Filho, que vendeu por R$ 85 milhões a fazenda Cedro, de 9 mil hectares, para a Agropecuária Santa Bárbara, será chamado ao Iterpa para explicar porque fez negócio com o banqueiro se não era proprietário do imóvel e tinha do Estado apenas a permissão para explorá-lo em regime de comodato. Mutran Filho não foi encontrado ontem em Belém para explicar a transação.  O procurador-geral do Estado, José Ibrahim Rocha, disse que as áreas de Dantas serão retomadas caso fiquem comprovadas irregularidades no processo de aquisição. "O Estado está agindo assim, em parceria com a União Federal, em Altamira, onde havia grilagem de terra", resumiu Rocha.  As terras compradas por Dantas são da melhor qualidade e valem o dinheiro desembolsado, segundo corretores paraenses. Além da fazenda Cedro, a Agropecuária Santa Bárbara comprou por R$ 144 milhões a fazenda São Roque e outra propriedade do pecuarista conhecido por Mazinho, em Redenção. O madeireiro Antonio Lucena Barros, o Maranhense, também vendeu suas terras por R$ 210 milhões para o banqueiro. Mais oito fazendas na mesma região custaram R$ 100 milhões à Santa Bárbara.  Um fazendeiro de Redenção conta que Dantas pretende ampliar cada vez mais seus negócios, comprando quantas fazendas forem necessárias para abrigar, até 2010, mais de 1 milhão de cabeças de gado. "Gosto de gente assim. Esse banqueiro é ousado no investimento. Ele compra o que aparece", observa, revelando que Duda Mendonça, ex-marqueteiro do presidente Lula, também é outro próspero fazendeiro na região entre Redenção e Marabá.  Duda e Dantas já foram vistos várias vezes juntos, em Redenção, em companhia de Fábio Luiz da Silva, o Lulinha, filho do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Pode ter sido apenas mera coincidência.

Tudo o que sabemos sobre:
Daniel DantasOperação Satiagraha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.