Dantas chega à PF para cumprir nova ordem de prisão

Antes de chegar à PF, Dantas passou pelo IML para exames; em menos de 24 horas, banqueiro voltou para prisão

Anne Warth, da AE

10 de julho de 2008 | 17h06

O sócio-fundador do Banco Opportunity,  Daniel Dantas, chegou por volta das 17 horas desta quinta-feira, 10,  à sede da Polícia Federal, na Capital, para cumprir nova ordem de prisão preventiva expedida pela 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo. Dantas entrou em uma viatura da Polícia Federal, pela garagem do edifício. Seu advogado, Nélio Machado, que também acaba de chegar à PF, disse que falará com a imprensa assim que tiver mais informações a respeito da prisão e que pretende conversar com seu cliente. Antes de chegar à PF, Dantas passou pelo Instituto Médico Legal para realização de exames.  A PF voltou a prender o banqueiro  menos de 24 horas da saída dele da carceragem do órgão nesta madrugada, após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de mandar soltá-lo. Assim como da primeira vez, o pedido foi decretado pelo juiz Fausto Martin De Sanctis, da 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo.     Veja também:Dantas ofereceu suborno de US$ 1 milhão para escapar da prisão, diz MPLeia a íntegra da decisão do STF que manda soltar Dantas STF manda soltar Daniel Dantas e mais 10 presos da SatiagrahaBeneficiado por habeas-corpus, Daniel Dantas deixa sede da PFOpine sobre a decisão do STF de soltar Dantas  Lula defende ação da PF e não comenta decisão de soltar Dantas Dirceu condena 'espetacularização' da PF Entenda como funcionava o esquema criminoso  Entenda o nome da Operação Satiagraha, que prendeu Dantas   Desta vez, Dantas é acusado de corrupção ativa por oferecer US$ 1 milhão para subornar um delegado da PF e evitar as investigações que levaram à sua prisão e de mais 16 pessoas na última terça. O suborno era para livrar também sua irmã, Verônica Dantas, e Carlos Rodemburg, sócio e vice-presidente do banco, ambos presos na Operação Satiagraha. Diferentemente da primeira vez, Sanctis determinou a prisão preventiva do banqueiro, e não temporária.    Dantas havia sido libertado na madrugada desta quinta-feira com a irmã e outros oito suspeitos, graças a habeas-corpus concedido pelo presidente do STF, Gilmar Mendes. Os demais acusados soltos junto com Dantas não voltaram a ser detidos, segundo a PF. São eles: Daniele Silbergleid Ninnio, Arthur Joaquim de Carvalho, Carlos Bernardo Torres Rodenburg, Eduardo Penido Monteiro, Dório Ferman, Itamar Benigno Filho, Norberto Aguiar Tomaz, Maria Amália Delfim de Melo Coutrin e Rodrigo Bhering de Andrade.  O ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e o megainvestidor Naji Nahas continuam presos e já pediram ao STF  a extensão do habeas-corpus de Dantas para também deixarem a carceragem da PF. A Operação Satiagraha desmontou esquema de desvio de verba pública e corrupção. Nahas e Dantas são acusados de chefiar organizações criminosas distintas: uma realizava a evasão de divisas com um fundo de cerca de US$ 2 bilhões em um paraíso fiscal e a outra fazia lavagem de dinheiro. Pitta é acusado de ser dono de uma conta bancária no exterior e de ser cliente de operações de câmbio irregulares feitas por Nahas.

Tudo o que sabemos sobre:
Daniel DantasOperação Satiagraha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.