Valter Campanato/Ag. Brasil
Valter Campanato/Ag. Brasil

Damares diz que não ficou ofendida com o caso do 'pé de goiaba'

Futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos contou história de que viu Jesus Cristo quando pensou em se suicidar

Luisa Marini, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

13 Dezembro 2018 | 22h20

A futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, disse que não ficou ofendida com a onda de memes que surgiram nas redes sociais nos últimos dias associados a sua imagem. No vídeo que circula em grupos de WhatsApp e na internet, Damares conta a história de que viu Jesus Cristo em cima de um pé de goiaba, aos 10 anos, quando pensou em se suicidar. 

“Eu quero que todo mundo pergunte sobre o pé de goiaba. Encham as redes sociais de pé de goiaba porque eu quero falar sobre o pé de goiaba”, disse Damares a jornalistas nesta quinta-feira, 13.

Mais cedo, o presidente eleito Jair Bolsonaro defendeu a futura ministra em sua conta do Twitter.  “É surreal e extremamente vergonhoso ver setores da grande mídia debocharem do relato da futura Ministra Damares Alves sobre a fé em Jesus Cristo, que a livrou de um suicídio desejado por conta de abusos sofridos na infância. Lamentável!”, escreveu na rede social.

Em trecho de um vídeo que circula nas redes sociais, durante um culto evangélico, Damares, que é pastora evangélica, aparece contando uma parte da história. Nas imagens, ela diz que a “revelação” no pé de goiaba aconteceu nos fundos da casa de seu pai. Ela afirmou que subiu na árvore e se preparava para tomar veneno quando avistou Jesus caminhando em sua direção.

“Eu estava em cima do pé de goiaba, eu ia tomar veneno eu ia morrer era muita dor na alma de todos os abusos que passei. E quando estava em cima do pé de goiaba eu não vi um unicórnio, eu vi não vi um amigo imaginário, eu vi o que eu acreditava, Jesus”, contou.

Mais conteúdo sobre:
Damares AlvesJair Bolsonaro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.