Dados de cartões dominarão debate político nesta semana

O episódio do suposto dossiê que ogoverno teria preparado sobre gastos do ex-presidente FernandoHenrique Cardoso e da ex-primeira-dama Ruth Cardoso vai dominaro cenário político esta semana. O caso está na esfera da ministra-chefe da Casa Civil,Dilma Rousseff, um dos nomes mais cotados para a sucessãopresidencial no PT. Depois da divulgação pela revista Veja da existência daorganização dos dados, a Folha de S.Paulo apontou Erenice AlvesGuerra, secretária-executiva da Casa Civil, como tendo ordenadoo levantamento de informações para compor um dossiê de despesascom cartões corporativos e contas tipo B (gastos reembolsados aservidores) do ex-presidente Fernando Henrique e Ruth Cardoso. O governo vem admitindo o levantamento da coleta deinformações, mas nega a criação de um dossiê. A CPI mista doscartões corporativos promete aumentar a carga para a convocaçãode Dilma. Veja a seguir os principais eventos da semana: SEGUNDA-FEIRA -- O presidente Lula cumpre agenda no Rio de Janeiro.Participa da cerimônia de início das obras de terraplanagem doComplexo Petroquímico do Rio de Janeiro em Itaboraí e, em Duquede Caxias, lança obras do Programa de Aceleração do Crescimento(PAC). A ministra Dilma acompanha o presisente Lula. -- O partido Democratas deve entrar com representaçãocontra o presidente Lula no Tribunal Superior Eleitoral por usoindevido de palanques em cerimônias oficiais. -- O PSDB deve pedir à Procuradoria-Geral da República ainstauração de inquérito contra a ministra Dilma Rousseff e suasecretária-executiva Erenice Alves Guerra nos episódiosrelacionamentos ao vazamento dos dados sobre despesas comsuprimento de fundos no governo Fernando Henrique Cardoso. TERÇA-FEIRA -- O presidente Lula participa pela manhã de reunião doConselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES),coordenada pelo ministro José Múcio Monteiro (RelaçõesInstitucionais). Na primeira reunião deste ano, os temas sãoperspectivas de crescimento da economia brasileira e a crisenorte-americana. A reforma tributária também está na pauta. -- Pela manhã, Lula comparece à reunião semanal deCoordenação Política e no fim do dia recebe líderes da basealiada. -- Sessão da CPI dos Cartões Corporativos não tem depoentese deve votar requerimentos como pedidos de informação à CasaCivil e a convocação de integrantes do governo. -- O relator da comissão que analisa mudanças na tramitaçãodas medidas provisórias, Leonardo Picciani (PMDB-RJ), adioupara esta semana a divulgação de seu relatório. Ele disse queainda não há consenso em itens básicos como prazo de vigênciaque hoje é de 120 dias. Há propostas de 175 a 205 dias. O fimdo trancamento está acertado, mas a prioridade de votação devepermanecer de outra forma. A Comissão de Constituição e Justiçadeve ter dez dias para avaliar uma MP. -- A Câmara dos Deputados tem na fila 13 MPs, entre elas aque elevou a alíquota da CSLL, enquanto no Senado são cinco. QUARTA-FEIRA -- O presidente Lula recebe a visita de Estado dopresidente da Eslovênia, Danilo Turk. -- A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmaravota parecer do deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ) sobre areforma tributária. Entre as modificações do relator, Estadosexportadores de petróleo e energia elétrica passam a recolher 2por cento de ICMS quando venderem seus produtos a outrosEstados. A medida contraria o projeto do governo, que não prevêa cobrança do ICMS na origem. QUINTA-FEIRA -- O presidente Lula deve viajar ao Rio Grande do Sul paralançamento de obras do PAC e visita, em Rio Grande (RS), aobras de plataformas da Petrobras. SEXTA-FEIRA -- O presidente Lula recebe o presidente da Guatemala,Álvaro Colom. (Reportagem de Carmen Munari; Edição de Eduardo Simões)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.