DAC vistoria avião que pousou em fazenda

Técnicos do Departamento de Aviação Civil (DAC), do Rio de Janeiro, vistoriaram hoje pela manhã o Fokker 100 da TAM que fez um pouso de emergência ontem na zona rural de Birigui, a 535 quilômetros de São Paulo, deixando feridos quatro dos 29 ocupantes da aeronave. O jato voava de Guarulhos para Campo Grande (MS) e, por motivos ainda não esclarecidos, perdeu todo o combustível menos de duas horas após a decolagem. Durante a vistoria, os técnicos do DAC observaram detalhadamente o avião, fizeram fotografias e recolheram partes da fuselagem que se soltaram na aterrissagem. Eles informaram que o DAC deverá classificar o fato como acidente, por ter havido vítimas e danos materiais no avião, e não como um mero incidente. O órgão promete um pronunciamento para segunda-feira, mas o relatório preliminar das investigações só deve ficar pronto em 30 dias. A desmontagem do avião está prevista para começar neste domingo, quando deve chegar a Birigüi uma equipe de mecânicos da TAM. Os trabalhos deverão durar uma semana. O pasto onde o Fokker 100 desceu, atropelando e matando uma vaca, permanece isolado e vigiado pela Polícia Militar, que, por causa do grande número de curiosos, não está permitindo a entrada de carros. As pessoas podem chegar até 20 metros do avião.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.