Da vitória sobre Lula em 1989 à cassação em 1992

A presidência da Comissão de Infraestrutura do Senado será o cargo mais importante exercido por Fernando Collor de Mello desde o dia 29 de dezembro de 1992, quando, acusado de corrupção, teve o mandato de presidente da República cassado pelo Congresso e abandonou o Palácio do Planalto sob vaias. Punido com oito anos de afastamento da vida pública, Collor só voltou à cena política em 2006, com a eleição para o Senado por Alagoas. No Congresso, o alagoano passou a integrar a base de apoio do petista Luiz Inácio Lula da Silva, a quem derrotou na eleição presidencial de 1989. Na ocasião, teve a ajuda de Miriam Cordeiro, ex-mulher de Lula, que na TV acusou o petista de ter sugerido que abortasse ao ficar grávida da filha.Outro antigo adversário de quem Collor se aproximou é José Sarney, que era presidente da República em 1989 e a quem acusava de corrupção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.