DIDA SAMPAIO|ESTADÃO
DIDA SAMPAIO|ESTADÃO

Da 'tropa de choque' de Temer, deputado Beto Mansur deve trocar PRB pelo MDB

Ex-prefeito de Santos é um dos cinco parlamentares que devem ir para a legenda de Temer, que deve perder quatro nomes

Igor Gadelha e Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

30 Janeiro 2018 | 14h14

BRASÍLIA - Integrante da chamada "tropa de choque" do governo na Câmara, o deputado Beto Mansur (PRB-SP) deve se filiar ao MDB, sigla do presidente Michel Temer. A filiação deve ocorrer durante a janela para parlamentares trocarem de partido sem risco de perda de mandato, prevista para março. 

Ex-prefeito de Santos (SP), Mansur é um dos cerca de cinco deputados federais que a legenda de Temer, a maior da Câmara, com 61 parlamentares, espera filiar durante a janela. Nesse período, porém, a sigla também prevê perder pelo menos outros quatro parlamentares, que devem migrar para partidos como DEM e PDT.

Vice-líder do governo na Câmara e candidato à reeleição neste ano, Mansur negocia a filiação diretamente com o líder do MDB na Casa, deputado Baleia Rossi, que é presidente do diretório do partido em São Paulo. "Estou conversando e está avançando", disse Mansur ao Estadão/Broadcast.  Além dele, o MDB negocia filiação de mais dois deputados federais paulistas, cujos nomes ainda são mantidos sob sigilo. O partido também espera a filiação de outros dois parlamentares que hoje estão no PSB, entre eles, a deputada Maria Helena (PSB-RR). 

DEBANDADA

Por outro lado, o MDB espera perder pelo menos quatro deputados. São eles: Laura Carneiro (RJ) e Rodrigo Pacheco (MG), que negociam filiação ao DEM; Celso Pansera (RJ), que mantém conversas com o PDT; e Veneziano Vital do Rêgo (PB), cujo destino partidário ainda é incerto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.