D. Eusébio se diz surpreso com nomeação

O arcebispo de Florianópolis, dom Eusébio Oscar Scheid, ficou sabendo que seria o novo bispo do Rio no dia 12 de julho, por um comunicado oficial do Núncio Apostólico, dom Álfio Rapizoardo. "Não falei nada porque estava preso ao sigilo regimental", explicou hoje, por telefone, a O Estado de S. Paulo. Ele disse que conhece pouco sua nova arquidiocese, onde só esteve em temporadas curtas e esporádicas, e precisará se inteirar da atividades eclesiásticas logo que assumir o cargo, o que deve ocorrer em 29 de setembro."Antes disso, devo ir ao Rio para me encontrar com dom Eugenio Sales, mas ainda não tenho data marcada para tal", adiantou ele. "O que se sabe do Rio, além da beleza natural, da música e da cultura, através da mídia, nem sempre é bom, e preciso conhecer a realidade da cidade mais de perto. Ainda bem que terei os bispos auxiliares por perto e também dom Eugenio, a quem considero um mestre." Dom Eusébio, contou que sua nomeação foi uma surpresa, mas não sabe qual foi a influência de seu antecessor na escolha. "Essa é uma questão que envolve outros bispos e cardeais, que demanda tempo e com a qual não me envolvi, mesmo porque não acreditava que seria nomeado para o Rio", comentou. O futuro arcebispo disse ter recebido mensagens de felicitação dos bispos auxiliares do Rio, dos cardeais paulistas e dos bispos das cidades do Grande Rio.Sobre a possibilidade de tornar-se cardeal, já que vai substituir a outro religioso com este cargo, dom Eusébio foi reticente. "Realmente, o Rio é tradicionalmente sede de um cardinalato, mas essa questão não cabe a mim discutir e sim ao papa e ao Colégio de Cardeais."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.