D. Aldo Pagotto é o novo arcebispo da Paraíba

O papa João Paulo II nomeou ontem d. Aldo Di Cillo Pagotto, 54 anos, arcebispo da Paraíba, em substituição a d. Marcelo Pinto Carvalheira, que renunciou à arquidiocese por motivo de idade, ao completar 75 anos, em maio do ano passado. D. Aldo, até agora bispo de Sobral (CE), é presidente da Comissão para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz, setor pastoral social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).Nascido em São Paulo, foi ordenado padre em 1977 e bispo dez anos depois. Pertence à Congregação dos PadresSacramentinos e é especialista em Teologia Dogmática pela Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma. Na última assembléia geral da CNBB, em Itaici, município de Indaiatuba (SP), d. Aldo chamou a atenção da imprensa, aocondenar as invasões de terra e a ideologização do Movimento dos Sem-Terra (MST), cujos métodos, em sua opinião,?desestabilizam e agravam ainda mais a situação no campo?. O bispo disse então ter consciência de que não é essa a posiçãode outros membros do episcopado, mas defendeu seu ponto de vista com o argumento de que tem o respaldo do papa, quecriticou a ocupação de propriedades em outubro de 2002, ao receber bispos de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, em visita ad limina a Roma. Considerado conservador pela ala mais avançada da CNBB, por causa de declarações desse tipo, d. Aldo sucede em JoãoPessoa dois ex-arcebispos da esquerda da Igreja ? d. Marcelo Carvalheira, que trabalhou com d. Helder Câmara na arquidiocese de Olinda e Recife, e d. José Maria Pires, a quem d. Marcelo havia substituído. A transferência de d. Aldo de Sobral para a Paraíba vazou durante a reunião de Itaici, embora estivesse protegida por segredo pontifício (só poderia ser divulgada após o anúncio do Vaticano), supostamente na tentativa de abortar a promoção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.