Cyrillo assume novo posto em agência

O presidente Fernando Henrique Cardoso exonerou nesta terça-feira osuperintendente da Sudam (Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia), José Diogo Cyrillo.A exoneração, segundo oMinistério da Integração Nacional, é apenas formal, já que a autarquia foi extinta pelo presidente Fernando Henrique Cardoso há20 dias.Diogo Cyrillo, que conduziu a apuração das fraudes na Sudam, já foi nomeado para o cargo de Secretário Especial daAmazônia e terá como missão conduzir a transição da extinta autarquia para a nova Agência de Desenvolvimento da Amazônia.O decreto de exoneração de Cyrillo foi publicado no Diário Oficial desta terça-feira, ao lado da exoneração do superintendente-adjuntoda Sudam, Luiz André Muniz.A nomeação de Muniz para o cargo de secretário especial-adjunto da Amazônia também jáaconteceu, dois dias após a publicação da Medida Provisória que extinguiu a Sudam e a Superintendência de Desenvolvimentoda Amazônia (Sudene).Segundo assessores do ministério, as exonerações de Cyrillo e Muniz demoraram em razão da grevedos funcionários do D.O..As irregularidades no uso dos recursos da Sudam e Sudene provocaram um rombo de R$ 4 bilhões nos cofres públicos nosúltimos 40 anos.No processo de extinção dos dois órgãos, o presidente Fernando Henrique acabou com os incentivos fiscais eos recursos carimbados para o desenvolvimento de projetos nas regiões da Amazônia e Nordeste, mas criou agências dedesenvolvimento e manteve R$ 770 milhões no orçamento deste ano para esta finalidade.O ex-ministro Fernando Bezerra anunciou a extinção ao lado do presidente, mas acabou renunciando ao cargo há duassemanas depois do desgaste provocado por denúncias que o apontavam como beneficiário de recursos para um projeto daSudene.O presidente chegou a negociar um prazo para que Bezerra justificasse sua participação no projeto da Sudene, masalegando falta de apoio do partido, o ministro optou pela renúncia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.