CUT e Via Campesina invadem fazenda gaúcha da Souza Cruz

Cerca de 5 mil pessoas invadiram a Fazenda Boa Vista, da Souza Cruz, à margem da BR-471 em Pantano Grande (RS), nesta quarta-feira. Os manifestantes, vinculados a sindicatos filiados à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e às organizações ligadas à Via Campesina, passaram cinco horas no local, das 8 horas às 13 horas, exigindo que o governo combata o latifúndio e a fome.Depois saíram para viajar a Santa Cruz do Sul, onde se somaram a mais 2 mil produtores de fumo para um ato público na praça central da cidade. O presidente da CUT no Rio Grande do Sul, Quintino Severo, explicou a invasão ao estilo do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), dizendo que a distribuição de terras interessa a todos os trabalhadores, inclusive aos urbanos. ?Uma reforma agrária decente vai gerar milhares de empregos no Brasil a custo baixo?, acredita.Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o gerente industrial da Souza Cruz em Santa Cruz do Sul, Flávio Niemayer, contestou a informação divulgada pelos manifestantes de que a Fazenda Boa Vista seria improdutiva. Ele afirmou que metade da área de 3 mil hectares está tomada por plantações de eucaliptos e fornece lenha para as caldeiras das unidades industriais de Santa Cruz do Sul e Cachoeirinha. Outros 30% são reservas de mata nativa. E o restante é ocupado por 1,5 mil cabeças de gado e laranjais.Disse ainda que o Incra considerou a área produtiva. ?Mas a terra deveria produzir alimentos?, respondeu Paulo Faccioni, um dos líderes de Via Campesina. As manifestações desta quarta-feira fazem parte da Jornada de Luta por Terra, Trabalho e Direitos Sociais, que continua nesta quinta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.