CUT-DF pede investigação contra Jaqueline na Câmara

A Central Única dos Trabalhadores do Distrito Federal (CUT-DF) apresentou na noite de hoje um pedido de investigação na Corregedoria da Câmara contra a deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF), flagrada em vídeo de 2006 recebendo dinheiro do delator do "mensalão do DEM", Durval Barbosa. O órgão já analisa um pedido de investigação do PSOL, enquanto outro processo já está em andamento no Conselho de Ética.

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

30 de março de 2011 | 20h45

O pedido feito pela CUT dará ainda mais prazo para a defesa da deputada. A Corregedoria terá que notificar a parlamentar da nova acusação e a partir daí será aberto um prazo de cinco dias para defesa. Um aditamento feito pelo PSOL na terça-feira já tinha dado mais cinco dias para a parlamentar se pronunciar.

Na única manifestação entregue à Corregedoria até agora, o advogado José Eduardo Alckmin pede o arquivamento do processo porque já está em curso outra investigação no Conselho de Ética. O papel do corregedor, Eduardo da Fonte (PP-PE), é justamente de fazer uma análise preliminar para que a Mesa decida se encaminha a questão ao Conselho. Em peça já entregue ao Conselho, relativa ao outro processo, a defesa da deputada afirma que o Conselho não pode julgar a parlamentar por um fato anterior ao mandato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.