Cúpula petista cobra engajamento de prefeitos para eleger sucessor de Lula

A cúpula do PT aproveitou a reunião dos prefeitos eleitos em Brasília para pedir o envolvimento de todos para eleger em 2010 o sucessor do presidente Lula. Os representantes do governo orientaram os eleitos a não apenas se dedicarem a administrar, mas a fazer política de olho no calendário eleitoral. No encontro, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, foi considerada a "candidata certa" e o governador de São Paulo, José Serra, virou alvo de ataques do líder do governo na Câmara, Henrique Fontana (PT-RS). O PT chamou a Brasília os prefeitos eleitos para discutir o tema "Políticas que Mudam o Brasil". Durante a parte fechada do encontro, o ministro do Turismo, Luiz Barreto, fez um forte discurso conclamando os prefeitos à militância. "O enfrentamento político é muito importante", discursou, para uma platéia que reuniu durante o dia 335 prefeitos, do total de 559 eleitos, 242 vice-prefeitos, vereadores e dirigentes petistas, em um total, calculado pela Executiva, de 1.200 presentes."Não podem ignorar esse calendário de 2010. Faz muita diferença quem será o sucessor do presidente Lula para o final do mandato de vocês. Tem a tarefa de militante. Tem de fazer o enfrentamento político desde agora", orientou o ministro. "Seja com Serra, com Aécio, qualquer que vier."O deputado Henrique Fontana arrancou aplausos da platéia ao falar de Dilma. "Temos dois anos para conversar com o povo brasileiro, porque, para continuar essas políticas, a candidata certa é Dilma. Se Serra vencer, vai acabar com essas políticas", declarou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.