Cúpula do PT manifesta solidariedade à ministra e denuncia ''falso escândalo''

Numa ação combinada com o Palácio do Planalto para abafar a crise, a cúpula do PT manifestou solidariedade à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e acusou oposição e imprensa de fabricarem um "falso escândalo" envolvendo a montagem de dossiê sobre gastos no governo Fernando Henrique Cardoso. Em nota divulgada ontem à noite, a Executiva Nacional do PT também repudiou interpretações de que Dilma pode ter sido vítima de fogo amigo do próprio partido no vazamento dos dados sigilosos."Uma análise dos fatos indica que a divulgação deste suposto dossiê mais parece obra de adversários do governo Lula do que de seus aliados", diz um trecho da nota de solidariedade. Para a cúpula do PT, tudo não passa de uma crise artificial. "No momento em que o governo do presidente Lula apresenta os mais altos índices de aceitação e reconhecimento da sociedade, e em que o PT cresce nas pesquisas de opinião, antecipando a possibilidade de importantes vitórias eleitorais em 2008, partidos de oposição e setores de imprensa tentam, de forma leviana e sem nenhuma prova efetiva, ligar autoridades a especulações fantasiosas", destaca o texto.Apesar das evidências de que o governo vasculhava dados do governo passado para se defender da esperada ofensiva do PSDB e do DEM na CPI dos Cartões, o presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), disse que os adversários do presidente Luiz Inácio Lula da Silva se dedicam a elaborar teorias conspiratórias. Afirmou, ainda, que a bancada do PT na Câmara e no Senado vai agir para debelar o que chamou de "ataques oportunistas" à ministra da Casa Civil. "Vamos evitar que a oposição produza um falso escândalo por semana", insistiu Berzoini.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.