Cúpula do PSDB suspende punição de tucanos rebeldes

Os deputados Osmânio Pereira (MG) e Salvador Zimbaldi (SP), afastados ontem pela liderança do PSDB das comissões que integravam na Câmara por apoiarem o governo Lula, deverão voltar às funções que ocupavam. Esse foi o resultado de uma reunião que terminou por volta das 15 horas de hoje entre os deputados, o líder do PSDB na Câmara, Jutahy Júnior (BA), o líder do partido no Senado, Arthur Virgílio (AM), e o presidente do PSDB, José Aníbal. Também participaram da reunião outros quatro deputados que têm votado com o governo, contrariando posições do PSDB. São eles Feu Rosa (ES), Jovair Arantes (GO), Alexandre Santos (RJ) e Dr. Heleno (RJ). Segundo Jutahy, Osmânio e Zilbaldi se comprometeram a seguir as orientações do partido. "Os deputados têm todo o direito de ser governo, mas não estando no PSDB", afirmou Jutahy. "Não é necessário votar sempre fechado. Mas não pode haver alinhamento com o governo". Segundo ele, o partido não cria dificuldades em questões ideológicas, religiosas e setoriais e pode, pontualmente, haver votos divergentes da orientação partidária, mas não alinhamento com o governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.