Cúpula do PSDB quer destituir Sérgio Machado

A cúpula do PSDB deu início a um movimento para destituir o senador Sérgio Machado (CE) da função de líder do partido no Senado. Os desentendimentos vêm desde a briga de Machado com o governador do Ceará, Tasso Jereissati, no ano passado.Os problemas se agravaram depois da reunião do líder com os dirigentes do PMDB, no sábado, na casa do senador Renan Calheiros (AL), justamente para se tratar de uma questão peemedebista: o nome do substituto de Jader Barbalho (PA) na presidência do Senado.Machado deverá trocar o PSDB pelo PMDB nos próximos dias. O presidente do PSDB, deputado José Aníbal (SP), teria ficado profundamente decepcionado com o líder do Senado.Tanto é que, mesmo sendo deputado e com poucas condições de influenciar os senadores, ele deu início a um movimento para tirar Machado do cargo de líder.O problema, diz o senador Lúcio Alcântara (PSDB-CE), é que os tucanos estão muito desarticulados. ?Hoje no Senado ninguém fala pelo partido; até o líder está indo embora?, afirma.Em 1999, o PSDB alcançou a sua maior bancada: 16 senadores. Mas, aos poucos, foi perdendo alguns. Primeiro, saíram Jefferson Péres (AM) e Carlos Wilson (PE). Depois, Paulo Hartung (ES), José Roberto Arruda (DF) e os irmãos Álvaro e Osmar Dias, do Paraná. A bancada foi reduzida para dez senadores. Agora, recebeu a adesão de Ronaldo Cunha Lima (PB), que deixou o PMDB.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.