Cúpula do DEM reage com críticas à criação do PSD

O comando nacional do Democratas já reagiu com duras críticas aos primeiros eventos organizados pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, para promover a criação do Partido Social Democrático (PSD), depois de anunciar sua saída do DEM. O líder do Democratas na Câmara, deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), chamou a nova sigla de "partido sem decência" e "partido sem dignidade", ironizando suas iniciais. No seu twitter, defendeu publicamente que seu partido faça oposição a Kassab nas eleições municipais do próximo ano em São Paulo. "Nasceu hoje o PSD, o partido sem decência, o partido sem dignidade. O DEM tem de ir para a oposição ao Kassab. Vamos enfrentá-lo em São Paulo", postou ACM Neto ontem em seu twitter.

MARCELO DE MORAES, Agência Estado

21 de março de 2011 | 11h13

O primeiro evento oficial de promoção do PSD foi realizado ontem, justamente na Bahia, terra do líder do Democratas. Na solenidade, Kassab se reuniu com seus novos aliados no Estado, incluindo o vice-governador Otto Alencar, oriundo do PP, e o deputado federal Paulo Magalhães, primo de ACM Neto e que deixará o DEM para se juntar ao PSD.

Hoje Kassab lança o partido em São Paulo, quando anunciará a filiação de políticos importantes, como o vice-governador do Estado, Guilherme Afif Domingos, e os deputados federais Junji Abe e Guilherme Campos, entre outros, todos vindos do DEM.

Mais conteúdo sobre:
KassabPSDDEMcríticas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.