Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Cunha não comenta expectativa de denúncia e tenta manter clima de normalidade

Na iminência de ser denunciado ao Supremo Tribunal Federal por seu envolvimento no esquema de desvios na Petrobrás, presidente da Câmara

Daniel Carvalho e Daiene Cardoso, O Estado de S. Paulo

19 de agosto de 2015 | 15h52

Brasília - Sobre a hipótese de ser denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) até amanhã por envolvimento no esquema de corrupção da Petrobrás, o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse que "não vai comentar absolutamente", pelo menos por enquanto. Esse posicionamento foi apresentado por Cunha ao deixar restaurante da Câmara onde foi oferecido almoço a integrantes do Parlamento Latino-americano (Parlatino), que tem reuniões em Brasília nesta quarta e quinta. 

"Não vou comentar absolutamente nada. Quando tiver fato, eu comento o fato", limitou-se a dizer. Conforme informou o Broadcast no início da tarde, a PGR deve denunciar, entre esta quarta e a quinta, Cunha e o ex-presidente da República e senador Fernando Collor (PTB-AL) por envolvimento no esquema de corrupção da Petrobrás.

'Normalidade'. Na iminência de ser denunciado, Cunha, tenta passar um clima de normalidade e não alterou sua agenda de compromissos para esta tarde. Parlamentares que passaram pelo gabinete do presidente da Casa dizem que ele está tranquilo e que a denúncia já era algo esperado. "Já era anunciado há muito tempo", comentou um deputado próximo do peemedebista. "Está tudo dentro do esperado", disse outro aliado. 

De acordo com fontes, Cunha acredita que o cenário desenhando nos últimos dias apontava para um "acordão", ou seja, que políticos alinhados ao Planalto seriam poupados de ser denunciados e os oposicionistas enfrentariam os desdobramentos das investigações da operação Lava Jato. Por recomendação de sua assessoria, Cunha evitou comentar a hipótese, pelo menos até ter acesso ao conteúdo da denúncia. "Se acontecer o fato, depois eu falo. Não vou comentar suposição", respondeu o presidente da Câmara a jornalistas no início desta tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Lava JatoEduardo CunhaSTF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.