Cunha Lima volta à rotina e rebate críticas da oposição

Sem fazer nenhuma declaração nem dar entrevista sobre a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que lhe permitiu ficar no cargo até que todos os recursos contra a perda de mandato sejam julgados, o governador cassado Cássio Cunha Lima (PSDB) despachou normalmente ontem com os seus secretários no Palácio da Redenção.A assessoria de imprensa do tucano rebateu suspeitas levantadas pela oposição de que o governo e sua ampla base na Assembléia Legislativa, na expectativa da cassação, tenham deixado um pesado ônus financeiro. A acusação tem base em medidas - incluindo aumento para servidores - aprovadas pelos deputados estaduais em 17 sessões extraordinárias.O governador, segundo a assessoria, não tomou nenhuma medida açodada ou circunstancial, diante da esperada posse do senador José Maranhão (PMDB). Ainda segundo a assessoria, ele aposta aposta que preservará o mandato, administrando com tranqüilidade as medidas aprovadas, que teriam previsão orçamentária para o ano que vem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.