Cunha Lima renuncia às vésperas de julgamento no STF

O deputado federal Ronaldo Cunha Lima (PSDB-PB) renunciou ao seu mandato hoje. Ele seria julgado na próxima semana no Supremo Tribunal Federal (STF) por tentativa de homicídio. Cunha Lima é acusado de ter disparado dois tiros contra o ex-governador paraibano Tarcísio Burity, seu adversário político e inimigo pessoal, em dezembro 1993, em um restaurante de João Pessoa, na Paraíba. A renúncia foi formalizada no plenário da Câmara. O caso está em julgamento no STF porque Cunha Lima, como parlamentar, tem direito ao chamado foro privilegiado. Com a renúncia ao mandato, ele ganhará tempo porque, agora, o processo será transferido para a Justiça comum, em João Pessoa. Porém, na carta de renúncia, Cunha Lima alega que desistiu do mandato por outro motivo: para ser julgado como cidadão comum e supostamente não querer se aproveitar do direito ao foro privilegiado. "Quero ser julgado sem prerrogativa de foro, como um igual que sempre fui", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.