FABIO MOTTA/ESTADÃO
FABIO MOTTA/ESTADÃO

Cunha embarca nesta quinta para a Itália

O roteiro do parlamentar e de sua comitiva, cuja composição ainda não foi divulgada, inclui passagens por Milão e Roma; é a terceira viagem dele como presidente da Câmara

DANIEL CARVALHO E CARLA ARAÚJO, O Estado de S. Paulo

30 de setembro de 2015 | 20h37

Brasília - O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), embarca nesta quinta-feira, 1, para mais uma viagem internacional, a terceira desde que assumiu o comando da Casa. Desta vez, o destino do peemedebista é a Itália.

O roteiro do parlamentar e de sua comitiva, cuja composição ainda não foi divulgada, inclui passagens por Milão e Roma. Em Roma, Cunha participará na segunda-feira, 5, do Primeiro Fórum Parlamentar Itália - América Latina e Caribe, do qual devem participar congressistas de Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.

Antes, ele passa por Milão, mas a Presidência da Câmara se recusou a informar o que ele fará na cidade. Os detalhes serão divulgados apenas nesta quinta-feira. O presidente volta da Itália na noite de segunda-feira.

Há pouco mais de um mês, Cunha foi a Nova York participar da quarta edição da Conferência Mundial de Presidentes de Parlamentos, na sede da ONU.

As viagens de Cunha tornaram-se alvo de críticas por causa de um tour diplomático realizado no primeiro semestre pela Rússia e Oriente Médio. A viagem de sete dias do presidente da Câmara e outros 13 deputados por Israel, pelo território palestino e pela Rússia, em junho deste ano, custou cerca de R$ 395 mil aos cofres públicos. As despesas foram com passagens aéreas, taxas de embarque e diárias para hospedagem e alimentação.

Alguns deputados utilizaram o dinheiro da cota parlamentar destinada a despesas com passagens aéreas e, por isso, a Câmara calcula que os custos da missão são de R$ 347 mil.

A Câmara informou em julho não ter pagado as despesas das sete mulheres dos parlamentares, inclusive a de Cunha, e de amigos deles que acompanharam a missão. A Casa disse ainda que a parte turística da viagem foi paga pelos anfitriões.

Tudo o que sabemos sobre:
Eduardo CunhaItália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.